• Rua dos Carijós, 141 - Centro - Belo Horizonte/MG
  • (31) 3224-0752
  • juridicosintectmg@gmail.com

PLR (Participação nos lucros e resultados)

Chantagem da Empresa Inviabiliza Acordo com os Trabalhadores Referente à PLR

Chantagem da empresa inviabiliza acordo com os trabalhadores referente à PLR

O encontro durou mais de cinco horas, mas a situação dos trabalhadores Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos no que se refere à participação nos lucros – segue praticamente na estaca zero.  Alguns pequenos avanços ocorreram, mas o fator considerado mais importante pela Federação Nacional dos Trabalhadores do Correios, Telégrafos e similares (Fentect) não foi atendido, que era justamente o pagamento referente a 2013, que era para ter sido pago desde o dia Primeiro de Maio deste ano.

"No geral, a avaliação foi negativa. Mas com relação aos critérios para se avaliar a PLR, tiveram uma evolução (Acidente de Trabalho, poder faltar mais de dez dias, greve não contar como falta)", amenizou o secretário-geral da Fentect, José Rodrigues.

A revolta maior dos representantes da categoria foi quando a empresa fez uma espécie de chantagem dizendo que pagaria o valor da Participação nos Lucros, desde que os trabalhadores assinassem já os critérios para os anos de 2014 e 2015. "Caso não assinem, vou retirar os R$ 38 milhões do lucro que conseguimos em audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST)", esbravejou Idel Profeta, superintendente de Recursos Humanos da ECT". A partir desse momento, os representantes de sindicatos das mais diversas regiões do País repudiaram as palavras do diretor da ECT, dizendo que os trabalhadores não aceitam nenhum tipo de chantagem, até porque os R$ 38 milhões a mais já foram acordados no próprio TST.

"O que está amarrando mesmo é a questão do atrelamento. A PLR de 2013, que a empresa está devendo desde maio porque sempre pagava até o dia do Trabalhador, ou seja, cinco meses de dívida. E agora vem com essa discussão de só pagar se a gente aprovar, ou seja, assinar um cheque em branco para os critérios das PLR de 2014 e 2015. Isso se chama chantagem. Esse ponto que está pegando juntamente com a dívida e o valor apresentado pela empresa com relação ao lucro de 2012. O trabalhador que ganha menos. No caso, o carteiro recebeu R$ 940 e agora estão querendo pagar só R$ 620. É lamentável a postura da empresa”, declarou José Rodrigues.