• Rua dos Carijós, 141 - Centro - Belo Horizonte/MG
  • (31) 3267-0752 - (98277-2360) Zap
  • juridicosintectmg@gmail.com

Notícias

PARTE 1 - OPRESSÃO E DESRESPEITO AOS TRABALHADORES DOS CORREIOS DE PARÁ DE MINAS/MG

OPRESSÃO E DESRESPEITO AOS TRABALHADORES DOS CORREIOS DE PARÁ DE MINAS/MG

Trabalhadores da cidade de Pará de Minas, localizada no Estado de Minas Gerais, denunciaram ao Sindicato, os diversos problemas enfrentados devido à falta de funcionários no setor de trabalho. A carga de serviço quintuplicou e desde o ano de 2011, os Correios não realizam concurso público. Isso vem ocasionando problemas psíquicos e físicos nos trabalhadores devido a imensa sobrecarga de trabalho.


Diante da situação crítica, os Correios têm recorrido à contratação ainda insuficiente de MOT’s (mão de obra temporária) terceirizada, como paliativo, o que não resolve o problema. Os terceirizados acabam sofrendo ainda mais exploração. Ocupam o mesmo cargo e função dos trabalhadores efetivos, mas são tratados de forma desigual. Carteiros relataram que os terceirizados sofrem assédios e ameaças constantes. 


Um dado importante de se analisar, é que o desemprego no Brasil vem crescendo de forma assustadora e os trabalhadores terceirizados se submetem a serviços totalmente precarizados para tentar levar algum sustento para suas famílias. Para se ter uma ideia da situação no CDD Pará de Minas, as entregas domiciliares de correspondência são realizadas pelos trabalhadores efetivos na parte da manhã. Já os terceirizados são obrigados a realizar as entregas no período da manhã e também da tarde. Essa prática mostra o tratamento desigual e que ainda contraria os manuais internos da ECT no caso da distribuição. A entrega matutina visa melhorar a qualidade de vida e saúde dos trabalhadores, mas só vem sendo aplicado aos funcionários próprios, como explicado acima. Não sabemos se esse tipo de tratamento dispensado aos terceirizados é por ordem da direção da Empresa ou por determinação da gestão local, mas com certeza não é um tratamento adequado e deve ser denunciado inclusive aos órgão oficiais competentes, como o Ministério Público do Trabalho – MPT.


Diante da situação o SINTECT-MG tomará as medidas cabíveis e contará com os trabalhadores do setor para organizarmos uma ampla mobilização contra a exploração, por mais contratações e contra a privatização dos Correios!